Imóveis na Planta em São PauloImóveis na Planta – Imóveis em toda a Grande São Paulo

Crédito imobiliário com recursos da poupança cresce 42% em 2011

Foram concedidos R$ 79,9 bilhões em financiamentos, segundo a Abecip. Em unidades, foram financiadas 493 mil em todo o ano passado.

 

26 de janeiro de 2012 | 12h56

Gabriela Gasparin

Do G1, em São Paulo

O financiamento para aquisição e construção de imóveis com recursos da poupança cresceu 42% em 2011, registrando um novo recorde histórico no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (26) pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito e Poupança (Abecip).

Foram concedidos R$ 79,9 bilhões em empréstimos para a construção e compra de imóveis no ano passado, R$ 23,7 bilhões a mais do que em 2010. Em unidades, foram financiadas 493 mil em todo o ano passado, alta de 17% sobre 2010. Em 2009, foram 303 mil.

Um dos motivos para a alta, de acordo com o presidente da entidade, Octavio de Lazari Junior, é o bom desempenho da economia nacional em 2011, como o mercado de trabalho e o aumento da renda.

A previsão da Abecip era de alcançar o volume de R$ 85 bilhões em financiamentos em 2011. De acordo com Lazari Junior, entre os motivos do menor resultado estão problemas com falta de mão de obra ou até mesmo atrasos em entregas de unidades por questões climáticas, como chuvas.

Dezembro de 2011 Só no mês de dezembro de 2011, os financiamentos imobiliários pelo SBPE atingiram o montante de R$ 8,2 bilhões, alta de 34% sobre o mesmo mês de 2010.  Em unidades, foram financiadas 49,6 mil, também um novo recorde mensal, diz a associação. O número representa uma alta de 27% sobre novembro e de 14% ante dezembro de 2010.

Previsão para 2012 Para este ano, a previsão é de crescimento de 30%, para R$ 103,9 bilhões, diz o presidente. “É a porcentagem que trabalhamos de acordo com os nossos números, com modelos estatísticos, depende de como vai estar a economia neste primeiro trimestre”, salienta. Para ele, um dos motivos da menor alta prevista para 2012 é o readequamento de recursos por parte das empresas, que devem buscar resultados mais sustentáveis de crescimento.

SBPE mais FGTS Somando os financiamentos com recursos do FGTS, o total foi de R$ 114,1 bilhões em 2011, uma alta de 36% sobre os R$ 84,1 bilhões de 2010, de acordo com a Abecip. Em unidades, a soma dos dois sistemas totalizou 1,043 milhão (493 mil do SBPE e 550 mil do FGTS), uma alta de 20% sobre 2010.

Fonte: 26/01/2012 – G1 Economia